BA2F4CB6 C421 4C4F 90C2 72A17A74E953

O CRMV-CE compartilha comunicado do Departamento de Saúde Animal (DSA) que informa que o órgão acompanha de forma atenta e permanente a situação da Influenza aviária de alta patogenicidade (IAAP) no mundo e reforça as medidas de prevenção do ingresso da doença no país, de detecção precoce de casos suspeitos em aves domésticas e silvestres e de preparação para resposta a eventuais ocorrências no país, em interação com os órgãos estaduais de sanidade agropecuária e setores privados da avicultura.

O documento diz que, nos meses de outubro e novembro do ano corrente, a Colômbia detectou influenza aviária de alta patogenicidade (IAAP) em propriedades de aves de subsistência, tendo como fonte de infecção aves silvestres migratórias. Foram afetadas propriedades em Acandí, Chocó, e na zona rural do município de Cartagena, Bolívar, localidades distantes da fronteira com o Brasil. Além disso, também foram detectadas IAAP no Peru, Chile, Venezuela e Equador.

Isso posto, considerando as recentes ocorrências de IAAP na América do Sul e o início do período de maior migração de aves silvestres para o Brasil, o DSA solicita ao Serviço Veterinário Oficial (SVO) de todas as unidades federativas especial atenção em relação aos procedimentos de vigilância, prevenção e preparação para resposta a eventuais ocorrências de influenza aviária, tais como:

• o fortalecimento da interação do SVO com o setor produtivo e com os órgãos de meio ambiente, para fortalecimento das medidas de vigilância e biosseguridade;
• desenvolvimento de ações de comunicação em saúde animal para promover a notificação imediata de casos suspeitos em aves domésticas e silvestres por parte dos produtores, médicos veterinários, técnicos da área ambiental e comunidade em geral;
• o reforço das orientações para a equipe técnica dos Órgãos Estaduais de Sanidade Agropecuária para vigilância passiva de aves domésticas e silvestres e atendimento a notificações de suspeitas ;
• reforço na disponibilidade de equipamentos de proteção individual e materiais para coleta e envio de amostras de casos suspeitos;
• pronto cumprimento às orientações e metas do novo plano de vigilância para influenza aviária e doença de Newcastle; e
• a intensificação das fiscalizações dos estabelecimentos avícolas para verificação do cumprimento das medidas de biosseguridade.

O DAS ressalta ainda que, para o sucesso da prevenção e de resposta a uma eventual ocorrência sanitária, é essencial a manutenção do estado de alerta de todo o Serviço Veterinário Oficial

No estado do Ceará, a Agência de Defesa Agropecuária do Ceará (Adagri) é a responsável em executar o Plano de Vigilância para Influenza Aviária e Doença de Newcastle. Nesse mês de janeiro, deu-se início ao plano através da realização de inquérito soro epidemiológico em granjas industriais. Durante todo esse mês, os Auditores-Fiscais Agropecuários da Adagri farão a coleta em aves de 95 empresas instaladas em todo o Ceará.

Para a realização das coletas das aves, foram selecionadas granjas avícolas dentro da categoria estabelecida (corte ou postura), na qual as propriedades obrigatoriamente devem ser de avicultura industrial e alojar mais de 1.000 aves. A não detecção das doenças-alvo, por esse esforço de vigilância ativa, confere segurança à certificação da sua ausência na avicultura industrial.

Artigos relacionados
PORTARIA nº. 039/2017 Ementa: Normatizar o funcionamento do CRMV-CE no dia 18 de outubro de 2017 e dá outras providências. O Presidente do Conselho Regional...
Continue lendo...
O CRMV-CE informa que, devido ao alarmante aumento no número de casos da nova cepa da COVID-19, Ômicron, e do novo vírus da gripe, a autarquia decidiu cancela...
Continue lendo...
I Encontro de Usuários do Siscad acontece de 4 a 8 de julho   Pensando nas evoluções tecnológicas e na importância da eficiência na prestação de serviços ao...
Continue lendo...